abrhpb

Por abrhpb

22h14

Como Utilizar o Poder de Adaptação do Nosso Cérebro -Segundo Albert Einstein

Muitas pessoas acreditam que se pudessem mudar a sua forma habitual de pensar seriam mais felizes, teriam mais saúde e produtividade no trabalho. Contudo elas se enxergam presas, aos seus modelos mentais limitantes que aprenderam durante a vida e que não as deixam acessarem a sua fonte inesgotável de poder que existe na sua mente.

Se você é assim, eu tenho algo importante para te contar que pode mudar a sua vida. Eu vou te ensinar como usar o poder de adaptação do seu cérebro para quebrar esse padrão através do exemplo de Albert Einstein.

Albert Einstein é reconhecido pela sua inteligência e criatividade fora do normal. A sua motivação interna era desvendar os mistérios da natureza. Ele aprendeu a utilizar o seu cérebro para obter o sucesso. O seu grande segredo estava no desenvolvimento da sua capacidade de adaptação ao enfrentamento do desconhecido. Para isso ele desenvolveu três forças e evitou três obstáculos que eu te apresento agora:

03 FORÇAS 03 OBSTÁCULOS
1.      Deixar para lá;

2.      Ser flexível;

3.      Manter a calma.

1.      Apego a velhos hábitos;

2.      Manutenção das mesmas condições;

3.      Estagnação.

Quando estamos diante de um problema podemos escolher resolvê-lo da forma habitual, que é o caminho mais fácil ou encontrarmos uma nova forma de lidar com a questão que vai te levar a novos resultados. Você pode utilizar o poder do seu cérebro para se livrar dos velhos condicionamentos e fortalecer a sua capacidade de adaptação, assim como fez Albert Einstein.

Eu vou te explicar agora as 03 forças utilizadas pelo grande cientista Albert Einstein.

1º FORÇA: DEIXAR PARA LÁ

Essa força revela a capacidade de desapego com as coisas que não são importantes, para que possamos manter a nossa mente fixada naquilo que é prioridade. Desapegar é um ato de coragem que leva ao amadurecimento. Você deve ter como prioridade o seu bem estar. Desapegue-se de tudo o que está travando a sua evolução. O desapego no contexto do desenvolvimento pessoal é um valor interno que não deve ser confundido com a perspectiva de se tornar uma pessoa fria e egoísta. Não significa que você deve abrir mão do que é importante para você, nem romper com os seus relacionamentos pessoais e vínculos afetivos. O desapego significa “saber amar, apreciar e se envolver nos relacionamentos com uma visão mais equilibrada e saudável, libertando-se dos excessos que o prendem”.

Leis do desapego emocional

  1. a) Seja responsável por si mesmo

Não coloque no outro a responsabilidade pela sua felicidade. Se você for dependente da opinião do outro para se sentir bem consigo mesmo só vai acumular sofrimento, pois raramente os outros suprirão a sua necessidade. Seja responsável pela sua própria vida e cultive a sua própria felicidade.

  1. b) Se aceite e viva no presente

Aceite o lugar onde você se encontra, a aceitação é o primeiro passo para a mudança. Aceite o seu passado e aprenda a perdoar. Não deixe que os acontecimentos do passado se torne um fardo para você carregar no presente. Deixe-o aonde deve ficar que é no passado, e liberte-se agora.

  1. c) Liberte-se e libere os outros

Ser livre não nos impede de criar vínculos com os outros. O problema dos relacionamentos começa quando um tenta prender e impor os seus princípios aos outros. Cada um deve assumir a responsabilidade pela sua própria vida. Apegos exagerados nunca são saudáveis. Cada um deve sair dos seus limites de segurança para enfrentar o imprevisto e o desconhecido.

  1. d) Saiba lidar com as perdas

Nada dura para sempre na vida. Como diz o Soneto de Fidelidade de Vinícius de Moraes “Que seja eterno enquanto dure”. As pessoas passarão, as crianças crescem, alguns amigos somem, perdemos alguns amores. Tudo isso faz parte do desapego, devemos aprender que isso é normal e que devemos enfrentar essa situação com tranquilidade e coragem.

2º FORÇA: SER FLEXÍVEL

Para viver bem é preciso ser mais flexível e menos rígido, viva com mais liberdade e menos regras, mais prazer e menos rancor. Seja flexível com as suas ideias e comportamentos, isso com certeza vai melhorar seus relacionamentos e te tornar mais feliz e realizado. Seja flexível igual ao bambu que durante uma tempestade se curva pela ação do vento, mas quando ele passa volta ao normal, enquanto outras árvores mais rígidas quebram durante o vendaval.

Quanto mais julgamos e criticamos os outros mais chatos e arrogantes ficamos e ninguém vai nos querer por perto. Quem acha que só existe um jeito certo de viver e esse jeito é o seu, acaba criando um hábito de criticar os outros e deixa de aproveitar muitas oportunidades e de viver outras experiências. A flexibilidade interior abre o nosso leque de ações, e passamos a ter acesso a mais criatividade e capacidade de adaptação às mudanças de vida.

3º FORÇA: MANTER A CALMA

Manter a calma faz parte de um processo de aprendizagem sobre como agir diante dos estímulos estressantes. Se você não teve na infância uma educação que favorecesse o autocontrole agora na fase adulta pode corrigir essa dinâmica ao tomar consciência desse problema, e aprender a controlar os seus impulsos.

A vantagem de exercitarmos o autocontrole é que ele nos impede de desperdiçarmos a nossa vitalidade que é aquela força que temos antes de aparecer o cansaço. Fique ligado nas situações que podem roubar a sua energia vital, são situações que exigem muito de você e te da pouco em troca:

  1. a) Discussão sobre temas insignificantes

O debate de ideias pode ampliar a nossa forma de enxergar um tema, fortalecendo o nosso pensamento e habilidades de comunicação. Contudo quando a discussão é feita unicamente com o propósito de vencer a outra pessoa e impor os seus próprios pensamentos, cria-se um mal estar e você desperdiça a sua energia. Muitas discussões são sustentadas apenas pela vaidade pessoal, onde as pessoas colocam em evidência as suas piores facetas.

  1. b) Reclamações

Reclamar de vez em quando é normal, mas tem pessoas que fazem da reclamação um hábito diário. A pessoa passa a vida abordando o mesmo problema sem fazer algo de concreto para muda-lo. O problema da reclamação é que ela nos leva a uma posição de impotência, em vez de nos concentrarmos em como mudarmos a situação nos concentramos em seus aspectos negativos. Não vale a pena gastar tanto tempo com isso, essa atitude pode revelar uma tentativa de fugirmos das nossas responsabilidades.

  1. c) Fofocas

Não se envolva em fofocas, a fofoca tem um enorme potencial para virar um desequilíbrio. Segundo Platão “Pessoas normais falam sobre coisas, pessoas inteligentes falam sobre ideias, pessoas medíocres falam sobre pessoas” – Platão.

Agora os 03 Obstáculos que devem ser evitados de acordo com o cientista Albert Einstein.

1º OBSTÁCULO: APEGO A VELHOS HÁBITOS

Para desapegar-se dos velhos hábitos primeiro você precisa identificar quais são os hábitos que te limitam e impedem de alcançar suas metas. Para isso é necessário ter uma visão clara daquilo que precisa ser mudado, inicie fazendo uma avaliação das suas fraquezas e identificando os seus comportamentos de procrastinação e estagnação. Em seguida trace objetivos tangíveis e relevantes para a sua vida pessoal e profissional e estabeleça prazos para alcança-los imaginando todos os dias que algo maravilhoso pode acontecer para contribuir com os seus resultados. Cuide também da sua alimentação e do sono para manter a sua mente e corpo saudáveis nesse período, exercite seu corpo com uma atividade que seja prazerosa para você, pesquisas comprovam que os exercícios físicos estimulam a memória e seu poder de concentração. E por fim, busque inspiração em alguém que você admira, observe como essa pessoa organiza a sua vida, suas metas e estratégias.

2º OBSTÁCULO: MANUTENÇÃO DAS MESMAS CONDIÇÕES

Para mudar sua vida você precisa mudar sua atitude em relação as suas circunstâncias atuais, para isso você deve desafiar-se mais e sair da sua zona de conforto fazendo coisas novas. Deixe de lado o perfeccionismo, pois ninguém é perfeito e focar nisso só vai te trazer frustração. Você também pode utilizar seus sonhos antigos como forma de desafiar-se, coloque suas ideias no papel e observe o que é necessário fazer para realiza-las. Desprenda-se da necessidade de ter que agradar a todos, pois essa preocupação em excesso pode deixar suas vontades de lado e você começar a agir de acordo com as vontades e sonhos dos outros. Defina suas prioridades e elimine o desnecessário para que você possa investir seu tempo e esforço naquilo que realmente é relevante para a sua mudança. E nunca se compare demais com os outros, pois isso pode ser bastante prejudicial a sua saúde mental.

3º OBSTÁCULO: ESTAGNAÇÃO

A estagnação acontece quando nos sentimos parados no tempo incapaz de evoluir, nesse ponto estamos em volta de uma barreira invisível que parece nos aprisionar, isso acontece porque de alguma forma intensificamos os pensamentos e emoções negativas que levamos conosco, muitas vezes resultado de conflitos mal resolvidos que alimentam ressentimentos, e que pode voltar-se para você mesmo na forma de baixa autoestima e falta de confiança. Os três principais motivos da estagnação é o apego ao passado, à falta de amor próprio e o medo de enfrentar questões emocionais dolorosas.

Dicas para enfrentar a estagnação:

  1. a) Aumente o seu amor próprio e combata os primeiros sinais de falta de autoestima cuidando de si mesmo e dos seus pensamentos.
  2. b) Livra-se do medo de confrontar as questões emocionais que te incomodam, resolver esses conflitos vai liberar a energia que te prende. Liberte-se do passado, e valorize a sua história de vida e a pessoa que você é no presente.
  3. c) Permita-se relaxar e descansar durante a semana, sozinho ou na companhia da família e de amigos para evitar o esgotamento mental.

Por Luciano de Santana Medeiros (Professor Universitário, Bacharel e Mestre em Administração / Consultor / Palestrante / Diretor da ABRH-PB / Membro da Academia Paraibana de Ciência da Administração).

Referência:

CHOPRA, Deepak. Supercérebro: como expandir o poder transformador da sua mente. São Paulo: Alaúde Editorial, 2013.

 

 





*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal T5.

14 comentários em “Como Utilizar o Poder de Adaptação do Nosso Cérebro -Segundo Albert Einstein

    1. Esse artigo permiti que visualizemos o quanto o cérebro é capaz de mudar nossa percepção quanto aos antigos hábitos. Parabéns, Luciano Medeiros.

  1. Esse artigo permiti que visualizemos o quanto o cérebro é capaz de mudar nossa forma de atuar perante os desafios diários. Parabéns, Luciano Medeiros.

  2. Excelente contribuição para o tempo em que estamos vivendo. Conhecer o nosso cérebro e o seu poder de adaptação e desenvolvimento é de muita importância para o nosso conforto metal

  3. Nascemos com todo esse potencial e o meio em que vivemos tem uma grande influência no formato da nossa essência. Nem sempre o ser humano é agraciado com um excelente convívio e precisamos aprender a separar o joio do trigo. Matérias como essa, só engrandece o aprendendizado e espalha-la se faz necessário. Parabéns Luciano.

  4. Nascemos com todo esse potencial e o meio em que vivemos tem uma grande influência no formato da nossa essência. Nem sempre o ser humano é agraciado com um excelente convívio e precisamos aprender a separar o joio do trigo. Matérias como essa, só engrandece o aprendendizado e espalha-la se faz necessário. Parabéns Luciano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *